Artigos e Informaçoes sobre Trombose Venosa

Produzido por DM Arts
Conteúdo e Divulgaçao: querootimizar

O que é Trombose Venosa Aguda? Quais os sintomas? O que fazer? Tem tratamento?


O que é a Trombose Venosa Aguda?

É a formação rápida de um coágulo de sangue dentro de uma veia em qualquer lugar do nosso corpo, obstruindo a passagem do sangue normal naquele local.

É chamada AGUDA na sua fase inicial, quando o coágulo ainda é "novo" e ainda não se transformou numa cicatriz dentro da veia. Vai do primeiro dia dos sintomas até a segunda semana (15 dias) da trombose.

Quais são os sintomas da Trombose Venosa Aguda?

Inicialmente a dor em toda a perna ou em uma parte dela (por exemplo a panturrilha, ou "batata da perna"), normalmente em apenas uma das pernas, com início e aumento rápido.

Existem casos sem dor, mas com ou sem dor inicial, a perna começa a inchar e mudar de cor, podendo ficar avermelhada ou com uma coloração azulada.

O inchaço da perna é o principal sintoma a levar as pessoas para o atendimento médico. Depois da dor, do inchaço da perna e da alteração da cor da pele, os pacientes reclamam da impossibilidade de pisar ou caminhar com o membro trombosado.

No primeiro atendimento médico, é importante fazer o diagnóstico diferencial com outras doenças que deixam a perna inchada:

- Flebite superficial
- Cisto de Baker
- Lesões musculares (com ou sem hematomas)
- Erisipela
- Doenças cardíacas ou dos rins
- Doenças de origem neurológica (dor ciática, etc.)

 Trombose Venosa Aguda - perna inchada mulher

O inchaço de uma perna só é o principal sintoma apresentado pelos pacientes. Se a sua perna estiver inchada, com cor alterada, marque uma consulta e avise desses sinais. A possibilidade do tratamento endovascular é maior na trombose aguda e evita as complicações (embolia pulmonar).   

 Trombose Venosa Aguda - perna inchada homem

Quais as principais causas da trombose venosa aguda ?

Dividimos as principais causas da trombose aguda em alterações da parede da veia, alterações dos componentes do sangue e alterações do fluxo normal do sangue dentro das veias:

Alterações na parede da veia: tromboflebites, trauma, cirurgias, queimaduras, varizes, infecções graves;

Alterações nos componentes do sangue: pós-operatório, gravidez, anticoncepcional, câncer, infecções, trombofilias;

Alterações no fluxo do sangue: imobilização, pós-operatório, pós-parto, gravidez, syndrome de May-Thurner, paraplegia.

Como se faz o diagnóstico da trombose venosa aguda?

É muito importante o diagnóstico rápido e completo da trombose venosa aguda por causa do tratamento e do risco de embolia pulmonar.

Quanto mais rápido o diagnóstico, maiores as possibilidades de se tartar o coágulo com as novas técnicas endovasculares, que recuperam totalmente as veias comprometidas e devolvem a circulação normal daquela região, além de proteger o paciente da embolia pulmonar.

Portanto, assim que uma pessoa apresentar os sintomas e os sinais de trombose venosa aguda, como inchaço das pernas, deve procurar uma avaliação médica e questionar sobre a possibilidade de tartar-se de uma trombose venosa aguda, e também a possibilidade e indicação do tratamento endovascular.

O diagnóstico clínico se faz com a avaliação detalhada da história, do exame clínico completo e da estimative de probabilidade, utilizando um sistema de notas chamado Score de Wells.

Pacientes com possibilidade de diagnóstico de TVP aguda devem realizar um exame de sangue chamado D-dímero. Se o resultado for < 500ug/L, descarta-se o diagnóstico de TVP. Se for > 500ug/L, a pessoa deve ser submetida ao exame de Ultrassom Doppler Colorido das veias. O ultrassom possui sensibilidade de 95% e especificidade de 97% para o diagnóstico de TVP aguda.

Em alguns casos mesmo o US Doppler deixa dúvidas, principalmente em pacientes obesos ou no diagnóstico de veias da pelve e do abdome. A revisão completa do caso e das notas de probabilidade indicam a necessidade de se realizar uma angiotomografia computadorizada ou uma Flebografia para confirmar ou descartar o diagnóstico.

 Quais os tratamentos da trombose venosa aguda?

Existem hoje dois caminhos para o tratamento da TVP aguda:

1) Conservador ou Tradicional: utiliza conceitos e métodos estabelecidos há mais de cinquenta anos, através da infusão intra-venosa ou subcutânea de HEPARINA, cuja ação imediata visa apenas interromper a formação de novos coágulos, sem qualquer ação sobre os coágulos já formados. Com isto interrompe o processo de extensão da trombose e possibilita ao organismo se readaptar à nova circulação sanguínea através de veias colaterais, para desviar o sangue das veias obstruídas. Utiliza as meias elásticas como suporte para este processo. 

2) Endovascular:  utiliza os mais modernos conceitos da cirurgia endovascular, utilizada para os procedimentos de revascularização cardíaca e das artérias, transferindo estes conceitos e métodos para as veias entupidas pelos mesmos coágulos que obstruem as coronárias do coração. Através de técnicas que utilizam cateteres, balões de angioplastia, Stents e drogas fibrinolíticas, os coágulos são retirados das veias trombosadas, devolvendo a circulação do sangue para as veias principais do sistema, reconstruindo estas passagens centrais e a circulação normal. Assim os riscos de embolia pulmonar, varizes, feridas nas pernas e os sintomas da Síndrome Pós-trombótica são eliminados e o paciente recupera completamente sua qualidade de vida. 

Texto elaborado pelo Dr. Francisco Osse 

< Topo >

< Voltar >